Sevilha  é a capital da Andaluzia, que é a região mais ao sul do país.

Sevilha é a região mais quente da Espanha, o inverno é ameno, e o verão muito quente. É também a região mais pobre do país, a economia é baseada principalmente no cultivo da azeitona, e no fabrico de azeite e do trigo. Existem grandes propriedades agrícolas, e uma grande massa de trabalhadores rurais que historicamente era o grupo mais pobre da Espanha.

Sevilha é famosa pelas suas festas. A principal é a Semana Santa, que dura realmente uma semana, relembrando a prisão, tortura e morte de Jesus Cristo.

A atividade principal da Semana Santa são as procissões, que desempenham uma tradição desenvolvida através de séculos. Diariamente, de várias partes da cidade, saem procissões que se destinam à Catedral.

Está a gostar deste artigo?

 Subscreva a nossa Newsletter e receba os nossos artigos no seu email!(Clique Aqui)

A atração mais famosa de Sevilha é a Catedral, com a sua torre. A torre é árabe, um minarete do século XII.

No século XVI foi acrescentado mais um andar, e no seu topo uma estátua de bronze que gira ao sabor do vento. Por essa razão a estátua, e a torre, são conhecidas como Giralda, e são o símbolo de Sevilha. Existe um acesso ao topo da Giralda por uma rampa, e do alto a vista é muito bonita.

O Alcázar é considerado o melhor exemplo de arquitetura mudejar, que é o nome que se dá aos mouros que permaneceram nos territórios reconquistados pelos espanhóis.

Depois da visita ao Alcázar, recomenda-se ir conhecer o jardim.

Vindos de terras áridas, os árabes davam muito mais valor a um jardim, e também a árvores frutíferas, do que as pessoas de regiões de agricultura mais rica, que crescem acostumadas ao verde. Assim, em qualquer construção importante, inclusive nas mesquitas, o jardim era levado muito a sério. Com muitas fontes e pequenos espelhos d’água, e com árvores trazidas de diversas regiões, o jardim do Alcázar é ao mesmo tempo bonito e agradável a um bom passeio.

Dá vontade de sentar e relaxar, ouvindo os sons da natureza e sentir o perfume das plantas.

Ao longo do jardim corre uma galeria de dois andares que permite o passeio pelo jardim abrigado do sol e da chuva.viagem
Depois de conhecer o jardim, pode passar para o Barrio de Santa Cruz, este bairro, antigamente chamado de juderia, era onde viviam os judeus antes de serem expulsos do país.

É um atraente bairro de casinhas pequenas, ruelas estreitas e pequeninas praças e pátios, tudo muito característico, pintado de branco, hoje em dia servindo de bairro residencial de classe média, também com muitas lojas de artesanato típico. O bairro está literalmente encostado no Alcázar, com algumas casas usando a muralha do Alcázar como parede do fundo. Isso é um bom símbolo da convivência pacífica que havia entre muçulmanos, cristãos e judeus.

Uma outra sugestão para um dia de passeio é andar à beira do rio Guadalquivir, que corta o centro da cidade, e cujas margens arborizadas são muito agradáveis para se passear.

Admirar a Torre do Ouro, à beira d’água, e seguir para o Museu de Belas Artes, que esta instalado num antigo convento. É  considerado o mais importante museu de pintura clássica da Espanha, depois do Prado.

Ainda se recomenda visitar a Casa de Pilatos. É uma mansão de um nobre do séculos XVI que, diz a lenda, esteve em Jerusalém e conheceu a casa de Pôncio Pilatos.

Quando voltou mandou construir uma casa igual. Ela tem dois andares, e os administradores conseguiram a gentileza de ter horários diferentes para cada andar. Dependendo da hora em que os for visitar, pode só conseguir visitar um dos andares.

Como ultima sugestão, uma visita ao Parque Maria Luisa, este era o jardim do Palácio de uma duquesa, e ela doou-o à cidade. No interior deste parque foram construídos a bonita Plaza d’España e o Museu Arqueológico.

Pode também visitar o museu das sevilhanas, ou ir em diversão á Islã Mágica que falaremos num próximo artigo!

Créditos de fotos: Orlando Silva

Share.

Leave A Reply

Saiba o Que Deve Visitar em Sevilha!

Tempo de leitura: 3 min
0