“MÃE JÁ NÃO TENHO SOPA” TEM O SEU PRÓPRIO GOOGLE!

O “Mãe já não tenho sopa” da atriz Ana Guiomar, acaba de lançar o seu próprio motor de busca, em maejanaotenhosopa.com .

O projeto criado pela atriz Ana Guiomar, dedicado à culinária e à partilha de receitas, em exclusivo para o instagram, dá mais um passo, desta vez criando uma plataforma onde se pode pesquisar todas as receitas publicadas.

Criado em 2015, o Mãe já não tenho sopa” tem sido um verdadeiro sucesso e já conta com 120 mil seguidores.

O sucesso deste projeto, já ultrapassou o digital, tendo sido lançado um caixinha de receitas (com o mesmo nome), uma linha de brinquedos com a Science For You  e, uma rubrica quinzenal nas redes sociais da revista Vogue.

Ana Guiomar partilha todas as semanas várias receitas, das entradas, aos pratos principais, não esquecendo as sobremesas. Receitas práticas, saudáveis e simples, com dicas e sugestões, para todos. Para quem sabe e para quem não sabe cozinhar.

Motor Busca: https://maejanaotenhosopa.com/

Instagram: https://www.instagram.com/maejanaotenhosopa/

Facebook: https://www.facebook.com/ana.guiomar/

Share.

A receptividade do público e uma lista de espera de quase 2000 pessoas motivaram a decisão dos dois amigos!  

Chama-se Ajitama Ramen Bistro e é o mais recente projecto de António Carvalhão e João Ferreira, os dois amigos aficionados do ramen que em 2017 abriram o Ajitama Supper Club – o primeiro supper club em Portugal especializado no prato mais consumido pelos japoneses.

Após um ano e meio a servir jantares uma vez por semana em casa de António e perante uma lista de espera a crescer exponencialmente, os dois entusiastas do emblemático caldo japonês decidiram dar um passo em frente e abrir o seu próprio restaurante de ramen. O Ajitama Ramen Bistro fica na Avenida Duque de Loulé, 36, em Lisboa e abre as portas ao público já no próximo dia 5 de março.

No Ajitama Ramen Bistro o ramen será uma vez mais o prato Rei e os dois fundadores irão manter a sua premissa de proporcionar uma autêntica experiência gastronómica japonesa e empregar as técnicas artesanais que conferiam ao Ajitama Supper Club o seu reconhecimento e a sua distinção.

 Agora com uma formação de topo no currículo – pela melhor escola de ramen de Tokyo, a Rajuku –  e com a vantagem de poderem servir mais pessoas de cada vez, cinco dias por semana, António e João contam com uma carta mais alargada e com pratos exclusivos, onde se incluem entradas tipicamente japonesas, cinco variedades de ramen – incluindo uma opção vegetariana – sobremesas inspiradas em ingredientes japoneses e uma oferta de cocktails únicos e refrescantes, também eles inspirados no Japão.

No Ajitama Ramen Bistro há propostas de ramen para todos os gostos e feitios. A par com o ramen Shio,  a receita original do Ajitama Supper Club, e com o ramen Shoyu, o mais popular do Japão, surgem agora o Veggie, um opção de ramen vegetariana que também pode ser vegana, o Miso, que se assume como uma explosão de sabores, e ainda o Hakata Tonkotsu, o ramen mais intenso da lista e segundo os dois amigos, a especialidade da nova casa.

As receitas do Shio e o do Shoyu, que já eram servidos lá em casa, no Ajitama Supper Club, são da nossa autoria e resultam dos 13 meses de desenvolvimento auto-didacta” relembra António Carvalhão.

Já as novas receitas – Veggie, Miso e Tonkotsu – foram aprendidas no curso intensivo de Ramen Chefs que realizámos em Tokyo com o Sensei Takeshi Koitani, um dos mais experientes e respeitados Ramen Chefs do Japão” conta o empreendedor.  O tempo de cozedura dos caldos, a intensidade de cada variedade de ramen e a espessura de cada um dos noodles são indicados e classificados na ementa, para informar da melhor forma possível os clientes do restaurante.

Relativamente aos cocktails, outra grande aposta do Ajitama Ramen Bistro, João Ferreira explica que estes resultaram de uma parceria perfeita com a empresa Às de Copos, especializada em serviços de bar: “Também no caso dos cocktails quisemos ter receitas exclusivas e que integrassem sempre pelo menos um ingrediente japonês no entanto não tínhamos qualquer tipo de experiência nem o conhecimento necessário para garantir a qualidade pretendida, conta.

 “Felizmente identificámos a Às de Copos, especialista nesta área, que nos desenvolveu um conjunto de seis cocktails variados que além de integrarem ingredientes japoneses conseguem proporcionar a harmonia perfeita com os nossos ramens, afirma. O Shochu, o Sake, o licor Midori e o Wasabi são alguns dos ingredientes usados nos cocktails exclusivos do Ajitama, que podem ser consumidos antes mas também durante as refeições.

O Ajitama Ramen Bistro tem capacidade para 36 lugares em mesa e ainda seis ao balcão, a forma mais japonesa de comer um ramenNo que à decoração do restaurante diz respeito, António e João quiseram recriar da melhor forma possível o ambiente vivido nos modernos e sofisticados restaurantes de Tóquio urbano, evidenciando ao mesmo tempo o elemento mais vincado do logotipo do Ajitama Ramen Bistro, o ovo Ajitama.

A forma do ovo inspira assim toda a organização e decoração do espaço sendo visível nas estruturas de madeira suspensas no tecto do restaurante, assim como na forma da própria cozinha e no balcão de serviço, entre outros detalhes de decoração do restaurante. O projecto foi desenvolvido pelo atelier de arquitectura, o JCFS Architects.

O Ajitama Ramem Bistro irá funcionar de Terça-feira a Sábado e, numa primeira fase, apenas para jantares. Às terças, quartas e quintas-feiras está aberto das 19h30 às 23h30, sendo que a cozinha e o bar encerram o serviço às 23h. À Sexta e ao Sábado funciona das 19h30 às 00h30, e a cozinha e o bar encerram o serviço às 23h30.

Morada
  • Ajitama Ramen Bistro
    Avenida Duque de Loulé, 36, Lisboa
    1050-006 Lisboa

    localizações

    Lisboa, Saldanha

Share.

Mercado Gourmet, Vinhos e Gastronomia promove produtos típicos das várias regiões de Portugal

O Mercado Gourmet está de volta ao Campo Pequeno com a melhor oferta de produtos gastronómicos de Portugal continental e ilhas. Especial destaque para as associações de produtores das várias regiões com a promoção dos produtos típicos e das tradições das respetivas zonas geográficas. Produtos saudáveis e um especial enfoque na alimentação biológica fazem parte do conceito do certame.

O Campo Pequeno volta a receber o Mercado Gourmet de 8 a 10 de Março. Sempre com base no conceito e no espírito dos mercados tradicionais de rua, mas agregando a criatividade e as tendências contemporâneas, a certame realiza agora a sua 7ª edição mantendo o objectivo de aproximar os produtos nacionais de excelente qualidade dos seus consumidores.

E é com este desígnio que Luís Portugal (chef transmontano, vencedor do Master Chef Especial Natal, em Dezembro de 2018, que conquistou para o espaço que explora, a Tasca do Zé Tuga, o reconhecimento BIB Gourmand 2019, atribuído pelo Guia Michelin) participa no evento na qualidade de Embaixador, levando, também ele, produtos de referência, como a carne de vitela mirandesa, produto certificado.

E é na Tasca do Zé Tuga, que vai oferecer aos visitantes a possibilidade de experimentarem os paladares de Trás-os-Montes, recriados com muita criatividade e irreverência, sem nunca adulterar a genuinidade e autenticidade de cada ingrediente. Como convidado especial, contará com a presença do mini chef Pedro Jorge, do Masterchef Júnior.

Com várias estreias neste Mercado – a Salys (temperar de forma saudável), o projecto Rodão à Mesa, a Transmontanices (os melhores e mais representativos produtos da região de Trás-os-Montes), a ALPORC (produtos de excelência de porco preto alentejano), a Azores Gourmet (licores, chá, atum das ilhas), a Fábrica de St. António (broas de mel de cana, compotas de tangerina, do Funchal), a Bela Cozinha (o sabor saudável do antigamente em escabeches variados e chutneys) – os visitantes podem provar e comprar uma lista extensa de produtos que incluem azeite, mel, queijos, fumeiro, vinhos, licores e cervejas artesanais, ervas aromáticas, chás, bolachas, compotas e conservas.

Ao longo dos três dias de evento terão lugar um conjunto de showcookings, sobre os mais variados temas, que contam com a participação de diversos produtores e reconhecidos Chefs de Cozinha (programa em anexo).

 Pedro Jorge – inscreveu-se no MasterChef Júnior porque gosta de cozinhar e comer!
Começou a cozinhar com a ajuda do pai, da mãe e do avô Zé com cerca de 5 anos e hoje já é especialista em pratos tradicionais portugueses, principalmente os pratos onde a carne é o ingrediente rei. Showcooking Tradição e Memória by Chef Luís Portugal com o Mini Chef Pedro Jorge como convidado.

 Joe Best – apadrinhou o Mercado Gourmet desde o princípio e está sempre na procura de novas criações a partir de ingredientes que movem e despertam paixões, mas também na busca incessante de proteínas, ervas, raízes, frutos e vegetais mais desconhecidos do grande público. Showcooking “Dom Maranho da Sertã”

 Duarte Alves – o nutrichef da consciência alimentar tem como missão criar consciência alimentar através da sua deliciosa cozinha nutricional. Showcooking de Consciência Alimentar com receitas baseadas no seu Livro ”A Cura pela Alimentação Alcalina”.

 Pedro Viana – fez nascer o Laboratório do Gelado sub 196 em Alvalade, deliciando os alfacinhas com gelados feitos à sua frente com azoto líquido, no meio de tubos de ensaio, balões de Erlenmeyer e algumas provetas. Showcooking “Gelados de Azoto Líquido” e Showcooking “Trufas e Cogumelos”

 Chef Executivo Tomás Pereira – The Cook Lab Project, que tem como missão a Promoção dos Produtos e do Receituário Português.

Na Tasca do Mercado será possível provar cervejas artesanais e petiscar de forma descontraída algumas iguarias na Tasca do Zé Tuga (petiscos típicos de Trás-os-Montes) e nas Empanadas do Maxi (sabores da Argentina).

Local: Campo Pequeno
Data: 8 a 10 de Março
Horário: 12h00 às 21h30 (Domingo encerra às 20h30)
Preço: 2€ (1€ dedutível em compras nos expositores + 1€ dedutível em compras na TASCA
DO MERCADO – de valor igual ou superior a 10€,) – gratuito para crianças até aos 11 anos.

PROGRAMA DE SHOWCOOKINGS
Dia 8 Showcooking Autor
15H Receitas com Cogumelos Shiitake Casa do Chascada
16H A Malagueta Cayena na Cozinha Sanguinheira
17H Jardinar na varanda OK Plants
18H Dom Maranho da Sertã Chef Joe Best & Dom Iguarias
19H Trufas e Cogumelos Chef Pedro Viana
19H30 Gelados de azoto líquido Chef Pedro Viana
20H Harmonização Vinhos e Tábua de Caça Penha Monte & SWOP
DIA 9 Showcooking Autor
15H Alimentação Alcalina e Funcional Nutrichef Duarte Alves
16H Tradição e Memória Chef Luís Portugal e seu convidado Mini Chef Pedro Jorge
17H30 Projecto Rodão à Mesa Ródão à Mesa
18H Live Cooking Terras de Oiro
19H Açorda para Totós Compotas & Chutneys
20H Cocktails de Gin Gin Rural
DIA 10 Showcooking Autor
15H Iogurtes caseiros e slow food Yogurtnest
16H Showcooking Consciência Alimentar Nutrichef Duarte Alves
17H30 Tempere-se! Aromas e Especiarias
18H The cook Lab Project Chef Tomás Pereira

Sobre o Campo Pequeno

Construído em 1892 sob um projeto do arquiteto Dias da Silva, o Campo Pequeno é um ícone da cidade de Lisboa e um dos mais notáveis edifícios de estilo neoárabe de Portugal. Com a reconversão concluída em 2006, o Campo Pequeno transformou-se numa sala polivalente, onde tanto podem ter lugar corridas de toiros como concertos, bailados ou eventos corporativos.

O Campo Pequeno conta com um centro comercial com 60 lojas, 20 restaurantes, 8 salas de cinema e
um supermercado. Situado numa artéria principal da cidade de Lisboa, é servido por uma ampla rede de transportes, entre os quais o metropolitano, com saída direta para a área comercial e ainda um amplo parque de estacionamento subterrâneo com capacidade para 1.250 automóveis.

Share.


«Hoje temos um grande entrave à internacionalização do País e à boa imagem do país que é o SEF, que não tem sabido responder às necessidades do turismo, dos passageiros e do país, tornando-se um problema que não conseguimos minimamente controlar», acusou José Luís Arnaut, chairman da ANA – Aeroportos de Portugal, no painel dedicado ao tema “A internacionalização e o futuro no setor do Turismo”, nos Open Days PME Connect, uma iniciativa que decorre no Auditório da Casa da América latina e UCCLA, em Lisboa.

José Luís Arnaut

Tendo em conta os fatores externos que têm forte impacto em Portugal, José Luís Arnaut falou no caso do Brexit, que pode criar uma situação complicadíssima para o SEF. «Basta pensar que todos os dias temos 18 voos a vir do Reino Unido, e todos esses passageiros terão de passar pelo SEF. Em Lisboa e Porto é dramático, em Faro pode ser caótico», avisou. Na mesma linha, Pedro Santos Silva, diretor financeiro do Pestana Hotel Group e administrador do Grupo Pestana Pousadas, salientou o impacto do funcionamento do SEF na aposta no Turismo, «que faz com que as coisas corram mal logo à partida».

No painel sobre a internacionalização e o futuro no setor do Turismo, o moderador, Rui Gidro, partner da Deloitte, salientou o grande crescimento do Turismo em Portugal, uma indústria de peso que representa 14% no PIB nacional (dados de 2017), e lançou o debate sobre as várias perspetivas do turismo para os players envolvidos.

Miguel Frasquilho, chairman da TAP, referiu que «só conseguimos sair da crise em que a Troika teve de intervir porque o nosso tecido empresarial se soube adaptar e percebeu que tinha de se virar para fora». Até 2010/2011 as exportações estavam nos 30% e passaram para os 44% atuais, mas ainda estamos abaixo de outros países da mesma dimensão e acima 50% conseguimos ser sustentáveis. «Foi, de facto, graças aos nossos empresários que foi possível esta recuperação da nossa economia, e não há outro caminho para melhorar a economia nacional», reforçou.

Pedro Santos Silva defendeu que o turismo é um mercado que, para crescer, tem de ir para fora, mas questionou: «Será que Portugal vai conseguir acompanhar este crescimento?». Portugal é um mercado com problemas estruturais sérios, alertou o responsável: ainda é um mercado dependente de fatores externos, como as quebras de turismo noutras regiões do globo; quer queiramos, quer não, é um mercado periférico, dependente, por exemplo, da falência de operadores aérea – basta ver o caso da Madeira, onde este factor tem um impacto que não se consegue colmatar –; falta ainda formação qualificada no setor; e temos a questão do aeroporto de Lisboa, de que dependem muitas regiões do país, entre outros fatores
determinantes.

José Luís Arnaut referiu que «95% dos turistas chegam a Portugal, chegam de avião, o que é uma grande responsabilidade, e houve, entre 2013 e 2017 um forte crescimento na atividade aeroportuária», e todos concordaram na importância de um aeroporto para o estímulo do turismo nas regiões.

Raúl Castro, presidente da Câmara Municipal de Leiria, realçou que «a região Centro há muito tempo tem a pretensão de criar uma infraestrutura aeroportuária, que se justifica porque temos uma âncora fortíssima que é Fátima, com sete milhões de peregrinos por ano. Para além disso,
é uma região onde há um enorme património classificado, com muitos visitantes por ano, e há outras áreas como o turismo das ondas, com muita expressão». «Para quem não sabe, há muitos empresários com aeronaves privadas a aterrar em Monte Real, porque somos claramente uma região internacionalizada em termos empresariais, mas precisamos de ser
apoiados com estruturas, com apoios para formar e receber pessoas para trabalhar, com mais de um milhar de estudantes internacionais só em Leiria», destacou o autarca.

Gonçalo Rebelo de Almeida, administrador do Grupo VilaGalé, falou do processo de internacionalização do Grupo e das particularidades de entrar em novos mercados internacionais. No caso do Vila Galé, o processo de aprendizagem no Brasil não foi fácil, até por coisas simples como a comunicação, mesmo falando do Brasil, porque as expressões não
são as mesmas, mas, como já existia algum conhecimento de operadores europeus a operar neste país, o Grupo achou que seria uma boa aposta, «e que conseguiríamos levar turistas da Europa para lá».

«As diferenças significativas na cultura, a forma de lidar com os fornecedores e tudo tratado localmente e não nacionalmente/regionalmente, com três tipos de legislação que impactam na concretização de negócios e parcerias, são desafios permanentes, destacou o administrador, realçando, no entanto que «é um mercado interno gigante, de 60 ou 70 milhões, em que vale a pena apostar com produtos diferenciadores e inovadores».

Luís Araújo

Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, destacou na sua intervenção a aposta numa promoção de Portugal que é mais do que falar de um país só para visitar: «Promovemos Portugal como algo muito maior, um país inclusivo, onde vale a pena investir, viver, estudar, comprar segunda residência, e que merece mais do que uma visita».

O dirigente apontou igualmente a necessidade de estar permanentemente a antecipar tendências e a encontrar oportunidades para servir qualquer pessoa, com qualquer objetivo: um turista, um investidor, ou quem queira vir viver para cá. Por isso, tem sido muito importante a promoção feita em meios digitais: «Em 2018 conseguimos impactar 170 milhões de pessoas
de forma digital, com uma campanha feita em países por todo o mundo. Criámos mais de 150 vídeos/conteúdos», acrescentando que Portugal é já um exemplo de benchmark para outros destinos.

Ilka Varela de Bares

Ilka Varela de Bares, embaixadora do Panamá, abriu o segundo dia dos Open Days PME Connect, que decorrem em Lisboa de 20 a 22 de fevereiro, apresentando o Panamá, um país pequeno, localizado entre a América do Sul e a América Central. Esta localização privilegiada proporcionou o seu desenvolvimento ao nível das infraestruturas e redes de transportes; com o
terceiro melhor aeroporto da Améria Latina, que terá uma plataforma logística que será única nesta região do mundo. Enquanto plataforma de conetividade é uma excelente aposta para a internacionalização para todas as empresas, nomeadamente no setor do turismo.

A embaixadora referiu a realização das Jornadas Mundiais da Juventude como exemplo do dinamismo do país, fazendo a ligação a Portugal, o próximo anfitrião do evento, o que traz muitas expetativas para os jovens panamianos que visitarão Portugal.

Vitor Neto

Vitor Neto, vice-presidente da AIP e antigo secretário de estado do Turismo, salientou que «o turismo é uma constelação de serviços a nível regional, nacional e internacional, e é assim que o turismo deve ser pensado, porque o sucesso no turismo depende do trabalho de um conjunto de atividades e de diversos níveis empresariais, e todos são imprescindíveis». «Além do mais, os turistas são todos diferentes, e se não tivermos em conta esta multiplicidade corremos o risco de errar», alertou o dirigente.

Miguel Eiras Antunes, partner da Deloitte, falou sobre o desenvolvimento do PME Connect no que respeita à adesão das empresas, grandes, medias e pequenas, ao projeto. A dificuldade em encontrar parcerias estratégicas era um dos pontos mais referidas pelas PME, e foi este um dos pontos mais trabalhados e valorizados ao longo do trabalho realizado. Mudar mentalidades e vocacionar as empresas para a cooperação é um dos principais objetivos do PME Connect, e o sucesso deste projeto demonstra-se já nas parcerias celebradas.

Os “Open Days PME Connect” são um evento de business networking em que serão partilhadas experiências no âmbito do projeto PME Connect e feito um balanço do trabalho realizado até aqui, no Auditório da Casa da América Latina e UCCLA, em Lisboa. Ao longo dos três dias, de 20 a 22 de fevereiro, em que intervirão mais de 80 oradores, entre representantes
de grandes empresas portuguesas, PME e organismos públicos, representações diplomáticas, académicos e membros do governo, serão apresentados, igualmente, casos concretos de experiências internacionais, para além de serem transmitidas diferentes visões e conhecimento sobre a internacionalização e competitividade da economia portuguesa.

Este evento de business networking está aberto à participação de todos os interessados, que poderão inscrever-se através do site https://aippmeconnect.com/.

Fotografias anexas:
 Ilka Varela de Bares;
 Vítor Neto;
 Luís Araújo;
 José Luís Arnaut:
 Painel_A internacionalização e o futuro no setor do Turismo: (da esquerda para a direita)
Raúl Castro (CM Leiria), Pedro Santos Silva (Pestana Hotel Group), José Luís Arnaut (ANA),
Miguel Frasquilho (TAP), Rui Gidro (Deloitte).
Créditos Joaquim Morgado | Color Shop

Share.

I Encontro Nacional dos Produtores de Espargo é organizado pela Cooperativa Terras de Felgueiras – Caves Felgueiras CRL em parceria com a Villabosque e a Vale de Ceras e visa promover um conhecimento aprofundado da cultura do espargo, produzido em modo biológico e/ou produzido em modo convencional.

O rotasesabores.pt esteve presente na Casa das Artes de Felgueiras, neste evento de divulgação da cultura do Espargo, que infelizmente ainda é um produto ” Tabu” para o comum consumidor português.

A ideia errada que as pessoas tem no geral, é que o Espargo é um produto caro nos supermercados, de origem biológica, e que é um produto “Gourmet”. A sua divulgação na sua maioria tem sido feita pelos grandes”Chefs” em workshops, e pratos muito elaborados nos seus restaurantes.

Em conversa com o Sr. Engenheiro Rui Pinto, Diretor da Companhia Agricula de Felgueiras, (Organizador e Impulsionador deste evento), pude perceber, que o espargo apenas pode ser colhido em Março aqui em Portugal, devido ao nosso clima, e apenas pode ser produzido ao ar livre.É necessário um clima frio para o seu desenvolvimento, e a temperatura do solo e do ar é muito importante para que possa rebentar e nascer. Apreendi que o seu preço varia, é mais caro na altura da sua colheita apartir de Março, mas se for comprado por exemplo nos meses de verão, o preço é bem mais acessivel (Espargo importado de outros países). Um bom espargo tem de ser bem cortado na sua colheita, tem de ter um tamanho certo, ou seja, não pode crescer demasiado senão perde as suas qualidades, e não pode estar espigado, nem ter as suas extremidades moles.

Nota: Engenheiro Rui Pinto é Licenciado em Engenharia Zootécnica. É quadro técnico da Cooperativa Agrícola Terras de Felgueiras desde 1992, assumindo em 2011 o cargo de Diretor. Iniciou o projeto de dinamização da cultura de espargo em 2013, na ótica da eficiência desta cultura com as culturas predominantes na região do Entre Douro e Minho.

Este evento visa promover e atrair novos produtores deste vegetal, e dinamizar a sua cultura em Portugal, para que a longo prazo se consiga uma produção nacional mais considerável. Neste momento existe muita importação de Paises, como o Perú, Espanha, Canada e outros países com o clima ideal para o seu cultivo. É normal termos nos nossos supermercados Espargos de outros países quando é fora da época da produção em Portugal. Este evento tanto na parte da manhã como da tarde, teve sala cheia o que mostra para além do sucesso deste evento, o despertar de interesse para este vegetal.

Por isso lanço aqui este desafio a todos os consumidores!

Dê preferência na sua compra aos Espargos Portugueses, ajude a fazer crescer esta cultura aqui em Portugal, compre o que é Português!

BENEFÍCIOS DO ESPARGO PARA A SAÚDE:

Os espargos contêm diversas propriedades nutricionais que começam na proteína vegetal e no alto teor de fibras. Mas há outros benefícios a ter em conta como por exemplo: baixos em calorias, apenas 20kcal em cinco espargos; isentos de colesterol; ricos em potássio, que desempenha um papel importante no metabolismo celular; importante fonte de fibras solúveis e de ácido fólico; ricos em vitamina C; fonte do complexo de vitamina B; contém antioxidantes e é uma fonte de ferro.

Originários da Ásia e cultivados desde a antiguidade, os espargos integram de diferentes formas as refeições, seja como entradas, sopas, saladas, acompanhamento de pratos elaborados ou sob a forma de soufflé.

Programa do Evento no dia de Ontem

25 Janeiro 2019
Casa das Artes – Felgueiras

 ABERTURA // 09H00

1º PAINEL // 09H30
A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO
› Rui Martins _ Chef no Grupo Pestana
› Isabel Martins _ Revista Vida Rural
› Isabel Archer Taveira _ Nutricionista
› Fernando Silva _ Professor/Investigador

2º PAINEL // 11H00
O ESPARGO EM AGRICULTURA CONVENCIONAL
› Jamie Petchell Global Plants Genetics
› Rui Sousa Villabosque
› Rui Pinto Terras de Felgueiras
› Ruben Alvarez Eurobanan

3º PAINEL // 14H15
ASPETOS RELACIONADOS COM A PRODUÇÃO
› Manuel Garcês _ Planasa
→→ Tema: Material de Propagação
› José Miguel Jiménez _ Fertinagro Biotech
→→ Tema: Fertilização
› Jorge Ferreira _ Agro-Sanus, Lda
→ Tema: Rega
› Rui Sousa _ Villabosque
→→ Tema: Doenças e Tratamentos

4º PAINEL // 16H00
O ESPARGO EM AGRICULTURA BIOLÓGICA
› Cristina Leão _ Bioatlântico
› Jorge Ferreira _ Agro-Sanus, Lda
› António Rodrigues _ Vale de Ceras
› Paulo Peixoto _ Quinta de Silvares

ENCERRAMENTO // 17H30

VERDE DE HONRA

ORADORES

Espero que este evento ajude a que mais produtores e consumidores despertem para este vegetal.Se desejar saber mais sobre qualquer assunto deste evento deixo em baixo os respetivos contatos. 🙂

Contatos: Cooperativa Agrícola Terras de Felgueiras

Agradecimentos pelo convite: 

Engenheiro Rui Pinto Cooperativa Agrícola Terras de Felgueiras

Francisco Quintas Serrano da [email protected] – Consultoria de Comunicação

Share.

Os serviços porta-a-porta são tendência em 2019

A Cooltra cresce em Portugal e celebra 5 novas parcerias. Das pizzas aos frangos, da limpeza de carros à gestão de alojamento local, as scooters da Cooltra permitem agora a estas marcas chegarem aos seus clientes de forma mais eficaz.

A Cooltra é uma das três marcas do grupo Cooltra. O objetivo é oferecer serviços de mobilidade tanto a residentes, turistas ou, como é o caso, a empresas que queiram fazer um aluguer de curto ou longo prazo. Os veículos Cooltra possuem o seu próprio software, garantindo uma total independência, flexibilidade, adaptação, velocidade e rastreabilidade ao serviço.

+ Pizza – Pizzas mais ecológicas em sua casa

Pizzas caseiras, entregues em casa sem qualquer custo adicional, através de uma frota de motas 100% elétricas.

As encomendas podem ser efetuadas por telefone ou no site e levantadas diretamente na loja das Laranjeiras ou entregues em casa.

Atualmente, o raio de entregas engloba as zonas de Alto dos Moinhos, Alvalade, Campo Grande, Campo Pequeno, Carnide, Colégio Militar, Entrecampos, Laranjeiras, Praça de Espanha, Quinta das Conchas, Roma, Saldanha, São Sebastião, Sete Rios e Telheiras e em breve ampliarão esta área.

Bairrista – Frangos com um twist

Uma churrasqueira com um twist. Quem nunca lutou pela sua parte preferida do frango? Aqui é possível escolher a parte que mais lhe apraz para satisfazer todos os gostos.

Através de um mix do melhor da nossa gastronomia com um toque fresh e moderno, o seu frango assado chega agora, com os acompanhamentos que mais gosta, à sua casa sobre as rodas da Cooltra, permitindo uma entrega porta a porta.

Steamy – Limpezas ao domicílio  

Lavar o carro é sempre uma peripécia ou uma tarefa aborrecida? Agora é possível ter um serviço de limpeza ao domicílio para o seu carro.

Acabaram-se as desculpas para não ter o seu carro num brinquinho! Com a ajuda da Cooltra, os colaboradores da Steamy deslocam-se até onde estiver para deixar o seu carro a brilhar.

Além disso, a empresa também dispõem de outros serviços de limpeza como limpeza doméstica e engomadoria.

HOSTMAKER – gestão de alojamento

Lançada em julho de 2014, a HOSTMAKER é uma empresa de gestão de alugueres de residências com base na tecnologia. As dores de cabeça dos proprietários chegam ao fim permitindo-lhes tirar o máximo partido dos alugueres de curto prazo através de serviços completos, com um serviço personalizado e preços imbatíveis.

Com uma taxa de crescimento de 300%, a HOSTMAKER opera atualmente em nove dos principais destinos internacionais para viagens de lazer e negócios em todo o mundo – Londres, Paris, Roma, Barcelona e Lisboa, bem como Cannes, Florença, Madrid e Bangkok.

Com a Cooltra esta empresa trata de cada uma das casas de forma personalizada e eficaz.

Sobre a Cooltra

A Cooltra é uma empresa nascida em 2006, em Barcelona, com o objetivo de oferecer serviços de mobilidade sustentável em duas rodas, tanto a turistas como a residentes. Em poucos anos a Cooltra tem passado por uma expansão importante, passando do aluguer de 50 motas num único escritório em Barcelona, para 14.000 motas (3.000 elétricas), mais de 100 pontos de aluguer no sul da Europa e mais de 500 colaboradores. Ao aluguer de motas a curto e longo prazo, adicionam-se atualmente serviços como o aluguer a empresas, gestão de frotas ou eventos. Para além disso, o grupo da Cooltra é o impulsor da eCooltra, o primeiro serviço de Motosharing elétrico ao nível europeu, com presença em 5 cidades e de ecoScooting – serviço de delivery B2B em duas rodas, 100% alimentado por energia limpa.

Para mais informação por favor aceda ao site: www.cooltra.com

Share.

A contagem decrescente para a noite mais longa do ano já começou, e este ano o SUD LISBOA Hall vai ser palco da festa mais exclusiva da cidade. Numa festa que vai contar com a mítica banda Gipsy Kings, autores de enormes sucessos como “Bamboleo”, “Djobi Djoba”, “Volare”, “Baila Me” ou “El Toro y la Luna”, a noite de 31 de dezembro promete ser memorável.

Ontem dia 5 de Dezembro, o rotasesabores.pt esteve a convite do SUD LISBOA ,na antevisão e recriação da festa que irá acontecer no 31 deste mês, e conta-lhe o que irá perder se não reservar já o seu lugar nesta magnífica noite de puro luxo e Glamour, onde predominam os bons vinhos, a cozinha de Autor e a arte de bem receber.

Este espaço esta localizado com uma magnifica vista sobre o Tejo. O Sud Lisboa é composto por dois edifícios que compõem o projeto — o Sud Terrazza e Sud Hall .

O Terrazza está aberto ao público das 08h00 às 02h00. Lá dentro no mesmo restaurante existem dois ambientes distintos — um mais sóbrio e intimista, e outro mais descontraído. Subindo uma escadaria em caracol  trabalhada em latão que mais parece uma obra de arte , encontramos a piscina panorâmica com vista sobre o Tejo, e um magnífico rooftop que tem 11 metros de comprimento e lotação máxima diária de 30 a 40 pessoas.

O Sud Hall dispõe de dois pisos e 1.600 metros quadrados, e destina-se só a eventos privados, que é o caso do evento da passagem de ano.

Fomos brindados á chegada ao SUD LISBOA Hall, com um welcome cocktail por volta das 12:30.

Canapés 
Cracker de Foie Gras e Goiaba | Caranguejo e Legumes Crocantes em Folha Daikon | Cone Tártaro de Novilho e Furikake com Caviar Imperial | Macarron de Queijo de Cabra e Geleia de Tangerina | Rolinho de Picanha e Cebola Primavera Grelhada com Molho Teriyaki | Camarão Crocante em Chili Doce | Folhado de Queijo Cabra, Abóbora e Marmelada de Cebola | Pakora de Legumes e Chutney de Menta.

No salão onde decorreu o evento, estava bem presente o Glamour em todo o Décor. Aqui nada foi deixado ao acaso, o ambiente de exclusividade, a arte de bem receber e servir durante todo o evento, são na minha opinião um dos principais trunfos, e que se destacam na hora de decidir onde irá passar a sua passagem de ano.

O alinhamento do menu para a noite da passagem de ano será a seguinte:

O menu, preparado pelo Chef Angel Reyes, foi preparado para estar à altura do momento. A acompanhar este menu foram servidos:

Champanhe | Vinho Branco e Tinto DIVAI Colheita | Gin Tónico | Porto Tónico | Cerveja | Limonada | Sumos de Fruta | Refrigerantes | Chá Gelado | Águas com e sem Gás

O Sud Lisboa dispõe de uma carta de vinhos com mais de 120 referências.

PRÉ-AMOUSE BOUCHE 

No inicio do banquete, foi servido um ” Mil folhas de salmão fumado,Queijo de Ervas Finas e Caviar Imperial // Esfera liquida de Azeitona e Ar de Campari // Legumes Crocantes sobre Folha de Daikon e Molho de Sriracha”.

A conjugação de sabores e apresentação dos pratos é magnifica, as imagens falam por sí!

AMOUSE BOUCHE

Em seguida, foi servido, um ” Lagostim em Creme Couve-Flor, Gel de Laranja e Espuma de Açafrão”. Combinação interessante, despertando agradáveis sensações no paladar

De salientar que todo o menu é apresentado, e explicado á mesa pelo “Chef “, ou por profissionais da equipa do Sud Hall, durante todo o evento.

 

ENTRADA 

Para adoçar o paladar, serviram um “Canellone de Foie-Gras e Maçã Caramelizada, Gelatina de Vinho do Porto e Gelado de Canela”. Aqui podemos aplicar a celebre frase que “Os olhos também comem”, mas naturalmente, uma combinação feliz, de puro prazer.

Ao longo do evento existiram vários momentos de animação inesquecíveis, com muita música latina e bailarinos que animaram os presentes e que irão animar a sua entrada no novo ano.

Para lhe abrir o apetite fique com um pequeno video da animação que foi apresentada pelos bailarinos!

LIMPA-PALATO

A anteceder o prato de peixe, foi servido melão num formato original, ” Melão e Sake em Folha de Shiso”, onde a folha não é para comer, só apenas o seu interior.

O primeiro prato principal do menu, foi um magnífico prato de peixe, apresentando a seguinte constituição:

” Garoupa Cozida a Baixa Temperatura, Quenelle de Batata e Azeitona, Bimi e Pico de Gallo”.

Uma explosão de sabores,quando se prova este prato, pura cozinha de Autor ao mais alto nível da gastronomia portuguesa. É daqueles empratamentos que deixa imensa pena, quando desfazemos o prato á medida que o vamos degustando.

Depois de saborear a “Garoupa”, o “Chef” propõe nada mais nada menos, como um “Granizado Maracujá e Manga“.

Com o “Palato” já completamente livre e pronto para receber o segundo prato principal, desta vez o “Chef” apresenta o prato de carne “Naco de Novilho do Japão Marmoreado em Alho Preto, Mini Legumes Glaceados e molho de Escalonias e Porto”.

Este prato estava muito bem confecionado, carne com um excelente sabor, e quando envolvida no molho e nos legumes, sobressai na nossa boca os excelentes ingredientes escolhidos. Este prato é ideal para os amantes da boa carne, e para os mais exigentes.

Chegamos ao final deste menu de excelência com muita pena nossa, mas com muita curiosidade de saber o que está por de trás da sobremesa, com um nome que nos faz viajar no nosso imaginário, a “Máquina do Tempo Tic Tac de Chocolate e Caramelo”. Escusado será dizer que além do espetaculo da criatividade deste prato, os sabores na nossa boca fazem-nos viajar á nossa infância.

Para terminar em beleza o seu ano, não pode perder  para além do magnífico Jantar de Gala, o regresso a Lisboa dos lendários Gipsy Kings!

Fiquem com um pequeno video deixado pelos Gipsy Kings para que não faltem no dia 31 aqui no Sud Hall ao vivo.

Findo o evento, e a avaliar  pela recriação da festa, no geral , o Sud Lisboa Hall está de parabéns! O rotasesabores.pt recomenda, e se a antevisão está a este nível, imagine na noite de final de ano com os Gipsy Kings a atuarem ao vivo. Entre em grande no novo ano, e na melhor festa de sempre do País!

 

A contagem decrescente já começou por isso garanta o seu lugar na Passagem de Ano onde tudo acontece. Faça a sua reserva para a passagem de ano Aqui!

Um bom ano de 2019 para todos!

Nome: Sud Lisboa (composto pelo Sud Terrazza e pelo Sud Hall)
Morada: Avenida Brasília, Pavilhão Poente, Lisboa
Telefone: 211 592 700
Horário: todos os dias, das 08h às 02h (Sud Hall fechado para eventos privados)
Reservas: obrigatória aos almoços e aos jantares; acesso à piscina mediante disponibilidade do espaço
Preço médio: 40 euros (ao jantar), sem bebida
Site: www.sudlisboa.com

Se gostou deste artigo deixe o seu comentário ou sugestão, e veja os outros artigos que temos neste blog. Aproveite e subscreva a nossa newsletter para receber os nossos artigos gratuitamente no seu email em 1ª mão!

Agradecimentos: Salomé Gorgiladze, Administradora Delegada do SUD LISBOA / Filipe Henriques, Senior Communication Manager www.sanahotels.com obrigado pelo convite e pelos mimos.

Créditos Foto-reportagem : João Vieira de Melo / Teresa Oliveira

                                                               PRBK – Private Brokers & Consulting

Share.

– AJUDE A AJUDAR –

Solidariedade em destaque nesta edição com Pinheiro Bombeiro, Cruz Vermelha Portuguesa, Ass. de Protecção dos Animais de Torres Vedras, Vale de Acór e Lar Jorbálan

 De 29 de Novembro a 2 de Dezembro, a arena do Campo Pequeno vai receber um Natal muito especial.

Com uma selecção extensa de projectos e produtos 100% nacionais, a edição deste ano vai acolher ainda participações inéditas como seja o projecto Pinheiro Bombeiro, para ajudar os Bombeiros Voluntários ou a Associação de Protecção dos Animais de Torres Vedras, que alberga presentemente cerca de 450 animais e ajuda no seu processo de adopção.

A oitava edição do Mercado de Natal, que espera cerca de 20 mil visitantes, conta com mais de 140 expositores, que vão apresentar artigos de autor e peças de design exclusivamente de origem portuguesa, maioritariamente inspiradas nas artes e nos ofícios tradicionais, bem como em tendências artísticas contemporâneas.

Livros, Peças de Design, Eco, Moda, Cerâmica, Joalharia, Artigos de Decoração, Brinquedos, Artes plásticas, Produtos Gourmet e Bio, Chocolate, são algumas das opções que estarão disponíveis.

Mas a principal novidade do Mercado de Natal em 2018 será o espaço dedicado a ajudar, com IPSSs e iniciativas de solidariedade. As instituições de solidariedade social encontram neste espaço a oportunidade para se apresentarem ao público visitante sensibilizando-o para as suas causas.

O projecto #PinheiroBombeiro consiste em aproveitar pinheiros que vão ser abatidos, como Árvores de Natal. No final, os pinheiros são devolvidos e transformados em biomassa. Desta forma, está-se a promover um uso eficiente, inteligente e sustentável de pinheiros que tiveram de ser abatidos e simultaneamente a angariar fundos para comprar material para os Bombeiros Voluntários.

A Cruz Vermelha Portuguesa irá estar presente no Mercado com um espaço de rastreios de saúde, numa acção de angariação de fundos para contribuir para as actividades sociais da delegação de Lisboa.

Mas os animais de 4 patas não foram esquecidos:  a Associação de Proteção dos Animais de Torres Vedras marca presença nesta 8ª edição do Mercado de Natal com uma acção de sensibilização para o seu trabalho: Cuidam, tratam, alimentam, esterilizam e encaminham os animais (cães e gatos) para adopção, através de uma criteriosa selecção de adoptantes. Apela-se neste mercado à doação de bens de primeira necessidade, já que a organização não beneficia de qualquer apoio público.

Paralelamente, este Mercado vai contar com a presença do Vale de Acór, com os seus inovadores Gelados Sociais Artesanais – Fratellini  e Pão Rústico de Lenha, e do Lar Jorbálan, que acolhe temporariamente jovens mulheres e os seus filhos em situação de vulnerabilidade social, que terá em venda produtos feitos pela sua comunidade.

O Mercado de Natal organiza ainda um programa de atividades “As Oficinas do Mercado” para miúdos e graúdos: receitas de sobremesas de Natal, a construção de um mini presépio em cerâmica, técnica de estampagem “blockprinting” com carimbos artesanais e outros materiais, oficina de Tecelagem Ovelha Mãe com técnicas tradicionais de manipulação da lã, são algumas das propostas disponíveis.

“É para nós extremamente gratificante podermos contar com este grupo de instituições no Mercado de Natal, pois o espírito do natalício também implica ajudar a ajudar” refere Luciana Megre, responsável da organização.

“O programa de actividades permite recriar e ensinar técnicas tradicionais de tecelagem e cerâmica ou de estampagem e assim envolver o público num universo de trabalho manual que tantas vezes é esquecido e acaba por se perder”, conclui Anabela Oliveira, co-organizadora do evento.

De quinta a sábado, das 11h30 às 21h30, e domingo, das 11h30 às 20h30, os visitantes poderão não só encontrar presentes diferenciados a preços atrativos, como contribuir para a viabilidade de pequenos negócios e ajudar pessoas e animais.

O bilhete de entrada no Mercado de Natal tem o valor de 2€, com 2 vales de 1€ para descontar nas suas compras.

Sobre o Campo Pequeno

Construído em 1892 sob um projeto do arquiteto Dias da Silva, o Campo Pequeno é um ícone da cidade de Lisboa e um dos mais notáveis edifícios de estilo neoárabe de Portugal. Com a reconversão concluída em 2006, o Campo Pequeno transformou-se numa sala polivalente, onde tanto podem ter lugar corridas de toiros como concertos, bailados ou eventos corporativos.

O Campo Pequeno conta com um centro comercial com 60 lojas, 20 restaurantes, 8 salas de cinema e um supermercado. Situado numa artéria principal da cidade de Lisboa, é servido por uma ampla rede de transportes, entre os quais o metropolitano, com saída direta para a área comercial e ainda um amplo parque de estacionamento subterrâneo com capacidade para 1250 automóveis.

PROGRAMA DE ACTIVIDADES

Showcooking  | Receitas com Iogurte

YogurtNest

Domingo, 2 de Dezembro | 11h30 às 13h00

No showcooking YogurtNest vamos preparar deliciosas e saudáveis entradas e sobremesas de Natal usando o iogurte como ingrediente fundamental e tendo como aliado o YogurtNest.

https://www.facebook.com/YogurtNest/

_____________________________________________________

André Semblano |Cerâmica

“Uma decoração de Natal”


Sexta, 30 de Novembro | 18h00 às 19h30

Com o objetivo de comemorar a época que se aproxima, André Semblano propõe a construção de um mini presépio em cerâmica, para juntar às suas decorações de Natal.

https://www.facebook.com/andresemblano

_____________________________________________________

Mazurca Handmade

“Iniciação à estamparia manual em tecido”

Sábado, 1 de Dezembro | 11h30 às 13h00

Nesta oficina poderão aprender a técnica de estampagem “blockprinting” com carimbos artesanais e outros materiais.

A partir dos 7 anos. Máximo 10 pessoas – Duração cerca de 1h

www.mazurcahandmade.com

_____________________________________________________

Ovelha Mãe

“Uma bola em lã”

Quinta, 29 de Novembro | 18h00 às 19h30

Nesta oficina de Tecelagem Ovelha Mãe, Estela Melo promove e divulga técnicas tradicionais de manipulação da lã.

https://www.facebook.com/OvelhaMae/

IPSSs PRESENTES NO MERCADO DE NATAL DO CAMPO PEQUENO

Projectos Solidários

PINHEIRO BOMBEIRO

80% dos Bombeiros em Portugal são voluntários e infelizmente nem sempre contam com material adequado (máscaras, luvas, fatos etc). Desta forma, ao alugar um Pinheiro Bombeiro, está a contribuir directamente para a compra de material profissional (com o apoio da Associação Portuguesa de Bombeiros Voluntários – APBV).

A Rnters tem uma proposta smart para o Natal dos portugueses. O projecto #PinheiroBombeiro consiste em aproveitar pinheiros que vão ser abatidos, como Árvores de Natal. No final, os pinheiros são devolvidos e transformados em biomassa.

A ideia, da start-up portuguesa Rnters, “é fazer a diferença este natal” ao ajudar os bombeiros voluntários. O objectivo é promover um uso eficiente, inteligente e sustentável de pinheiros que tiveram de ser abatidos.

Estas árvores vão ter direito a mais duas vidas: primeiro, enquanto elementos decorativos das casas dos portugueses; e, segundo, serão transformados em energia. No final do período natalício, estes pinheiros serão devolvidos ao local de levantamento, para serem transformados em energia sustentável, já que constituem biomassa.

https://www.rnters.com/pt/

APA DE TORRES VEDRAS

Leve o que puder de bens para a APA e ajude a ajudar os animais !

A APA de Torres Vedras é uma Associação de Protecção Animal.

Para além de albergarmos cerca de 450 animais destacamos o nosso trabalho massivo de esterilização de animais errantes e sensibilização contra o abandono e a superpopulação de animais.

Há muito que a nossa lotação está esgotada mas tudo fazemos para responder a todos os apelos que nos chegam.

Diariamente recolhemos animais das ruas do nosso concelho e limítrofes, tentando restituir-lhes a dignidade desde o primeiro instante. Cuidamos, tratamos, alimentamos, esterilizamos e encaminhamos para adopção através de uma criteriosa selecção de adoptantes.

Criamos o APA Júnior o primeiro Clube de Voluntariado Juvenil destinado a crianças a partir dos 6 anos de idade. Com este projecto convidamos os mais pequenos, famílias, grupos, escolas, entre outros a fazer parte desta grande família sob o lema “Ajudar (os Animais) é uma brincadeira de crianças “.

No âmbito deste projecto procuramos incessantemente que nos seja dada a hipótese de promover acções de sensibilização direccionadas a crianças e jovens, em escolas.

Através do Projecto Ester esterilizamos mensalmente cerca de 150 animais de rua e pertencentes a famílias carenciadas.

Uma das nossas prioridades é actuar junto das colónias de gatos onde capturamos, esterilizamos e devolvemos os animais (CED) impedindo assim o nascimento de mais ninhadas indesejadas.

Não temos quaisquer apoios do Estado, sobrevivemos da solidariedade dos nossos sócios, amigos e parceiros.

O nosso trabalho diário é visível e estamos em constante crescimento, quer físico quer no número de animais abandonados que não pára de aumentar de dia para dia.

As nossas maiores necessidades são:

– Alimentos secos e húmidos para cães e gatos

– Camas, mantas, casotas

– Transportadoras, comedouros/bebedouros, trelas, coleiras

– Materiais e produtos de limpeza e desinfecção (baldes, pás, vassouras, lixivias, detergentes chão e roupa)

– Mantas e toalhas em segunda mão

– Donativos monetários para fazer face às despesas de manutenção e expansão do abrigo e contas em clínicas veterinárias.

 

CRUZ VERMELHA PORTUGUESA – DELEGAÇÃO DE LISBOA

A Cruz Vermelha Portuguesa irá estar presente no Mercado com um espaço de rastreios de saúde, numa acção de angariação de Fundos para contribuir para as actividades sociais da delegação de Lisboa.

A Cruz Vermelha nasce da preocupação de prevenir e aliviar o sofrimento humano, em todas as circunstâncias; de proteger a vida e a saúde; de promover o respeito pela pessoa humana; de favorecer a compreensão, a cooperação e a paz duradoura entre os povos.

A Cruz Vermelha não distingue nacionalidades, raças, condições sociais, credos religiosos ou políticos, empenhando-se exclusivamente em socorrer todos os indivíduos na medida dos seus sofrimentos e da urgência das suas necessidades, sem qualquer espécie de discriminação.

https://www.cruzvermelha.pt/

VALE DE ACÓR

A Vale de Acór estará presente no MN com os Gelados Fratellini, apresentados no Mercado de Natal de 2017 e o pão rústico cozido a forno de lenha.

No Vale de Acór acolhemos e reinserimos os “novos pobres” da nossa sociedade – pessoas sem comunidade que são colocadas face à impotência ou falência de si mesmas e, por isso mesmo, incapazes de activar os seus recursos pessoais para reagir de um modo construtivo:
. Toxicodependentes e alcoólicos
. Toxicodependentes com problemas psiquiátricos (Duplo Diagnóstico)
. Toxicodependentes reclusos e ex-reclusos

Alguns projectos em curso para reinserir no mercado de trabalho os seus residentes com mais dificuldades de autonomia são: um serviço de Catering, uma padaria, uma pequena exploração agrícola (na configuração de horta tradicional) e o mais recente projeto de geladaria artesanal, os Gelados Fratellini®.

https://www.a-valedeacor.pt/

 LAR JORBÁLAN

O Lar tem a missão de acolher temporariamente jovens mulheres e seus filhos em situação de vulnerabilidade social, proporcionando-lhes um ambiente familiar, seguro e de bem-estar e acompanhá-las no seu processo de autonomia e valorização pessoal, desenvolvendo competências para a construção e concretização de um Projecto de Vida consistente, com vista à sua (re)integração social.

https://larjorbalan.org/

Share.